Fin Adviser

Notícias

Blog Image

  09 Dezembro 2019  

INAR quer igrejas focadas em torno da paz social

O responsável, que falava à imprensa no âmbito do caso que envolve a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), frisou que as confissões religiosas devem adoptar soluções pacíficas de resolução de conflitos assentes na não-violência, na tolerância religiosa, na união e na preservação da dignidade da pessoa humana.

Castro Maria adiantou que caso se comprove a prática de crimes por parte da IURD, o Estado angolano agirá em conformidade com o postulado na Lei 12/19 de 14 de Maio.

Adiantou que poderá, se assim ficar provado, ser suspensa ou encerrada, com a revogação da autorização para actuar no território angolano.a necessidade de a igreja pautar a sua acção na pacificação dos espíritos e na harmonia social nas comunidades.

Responsáveis da IURD estão a ser investigados, correndo um processo-crime em função das denúncias anónimas apresentadas em Janeiro último e das recentes denúncias públicas feitas por pastores e bispos da igreja. 

A polícia confirmou já que estão a ser efectuadas diligências para aferir a veracidade dos factos denunciados, alguns dos quais atentam contra a pessoa humana, e crimes de branqueamento de capitais, entre outros ilícitos.

A 28 de Novembro, um grupo de bispos e pastores anunciou a ruptura com o bispo Edir Macedo (líder da igreja), por alegadas práticas doutrinais contrárias à religião, como a exigência da prática a vasectomia, além da evasão de divisas para exterior do país.

Um comunicado assinado por mais de 300 bispos e pastores angolanos denunciou que, nos últimos 12 meses, a liderança brasileira, por orientação de Edir Macedo, passou a "forçar os pastores angolanos a submeterem-se ao processo de vasectomia".

Castro Maria adiantou que o exercício da liberdade religiosa e de culto não deve atentar contra ordem e a moral pública.

Afirmou que deve reinar a paz social, apelando aos líderes religiosos devem cumprir com a sua missão de unir os fiéis em torno da realização de actos inerentes a sua doutrina, a preservação da união interna e o encorajamento do diálogo, como sinal de respeito da vida interna das instituições e dos seus fiéis.

A Igreja Universal do Reino de Deus em Angola é uma instituição religiosa de direito angolano, registada no Ministério da Justiça, sob o número 26, e publicado no Diário da República em 17 de Julho, I Série, número 28.