Fin Adviser

Notícias

Blog Image

  10 Feveiro 2020  

MCS quer matérias sobre inclusão da pessoa com deficiência

 que os órgãos de comunicação social jogam um importante papel no processo de estudo, análise, denúncia e correcção dos obstáculos à inclusão da pessoa com deficiência no país.

Falando na abertura do ciclo de palestras promovidas pelo Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM), a decorrer nos  próximos três meses, sobre  "O papel da comunicação social na inclusão da pessoa com deficiência", Celso Malavoloneke adiantou que os jornalistas podem fazê-lo de duas formas: informando e denunciando as práticas menos correctas e incentivando os bons exemplos ou realizando a inclusão da pessoa com deficiência na sua condição de receptor da acção da comunicação.

O secretário de Estado salientou que subsistem obstáculos de índole cultural, social e económico sobre esta franja da população que devem ser banidas com a divulgação de matérias que estimulem essa inclusão.

"As rádios, televisões, jornais e media digital devem trazer mais para o cimo das suas agendas noticiosas as questões de inclusão da pessoa com deficiência", disse.

Referiu que já existe um trabalho considerável neste sentido, mas é preciso mais, pois a sociedade precisa ser confrontada com mais assertividade sobre o cumprimento ou não da legislação, metas e compromissos assumidos nesta matéria.

Para o director nacional da Inclusão da Pessoa com Deficiência, Micael Daniel, a comunicação social é um grande aliado para a inclusão social, na medida em que exerce o papel de executar as leis, fiscalizá-las e sensibilizar a sociedade.

Ressaltou que as pessoas com deficiência não devem ser chamadas apenas para abordar questões que tem a ver com deficiência nos órgãos de informação, mas que podem contribuir em outras áreas do saber em que se formaram.

O secretário-geral do Comité Paralímpico Angolano, António da Luz, disse estar em curso um trabalho para que matérias ligadas ao desporto paralímpico passem a ser divulgadas em horário nobre.

"Felizmente os paralímpicos conquistaram o seu espaço e hoje temos um programa de 50 minutos na rádio", destacou.

A palestra sobre o papel da comunicação social na inclusão da pessoa com deficiência é uma promoção do Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (Masfamu), em parceria com o Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM).